quinta-feira, 31 de julho de 2014

Abra a Porta Para Jesus




(Transcrito)


LEIA Apocalipse 3.1-22


“...se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei … 
e cearei com ele, e ele, Comigo.” Ap 3.20

A Igreja de Laodicéia se orgulhava de suas virtudes e tinha um altíssimo conceito de si mesma. Estava com a síndrome de Nabucodonosor: “Eu edifiquei... pelo meu grandioso poder... para a glória da minha majestade” (Dn 4.30). Laodicéia batia palmas para ela mesma e dizia: estou rica e abastada e não preciso de coisa alguma. Mui possivelmente, era uma Igreja ortodoxa, ética e próspera. Num mundo de perseguição atroz, a Igreja vivia em paz.

Porém, essa Igreja estava morna, insípida e apática, provocando náuseas no Filho de Deus. Jesus estava a ponto de vomitar aquela Igreja de Sua boca. Porém, mesmo nessa situação, Laodicéia estava tão satisfeita consigo mesma que Jesus estava do lado de fora, batendo à porta, querendo entrar. Jesus nunca desiste de Sua Igreja. Ele bate à porta com amor, querendo entrar em nosso coração, em nossa vida, em nossa família, em nossa Igreja.

Jesus está exatamente neste momento batendo à porta do seu coração. Ele quer entrar e fazer morada com você. Ele quer cear com você e restaurar o fervor espiritual em seu coração. Aqueles que se assentam intimamente à mesa com Ele recebem a promessa de se assentarem publicamente com Ele em Seu trono. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz às Igrejas.



quarta-feira, 30 de julho de 2014

A Espiritualidade de Jesus



(Transcrito)


LEIA Lucas 9.1-62


“... mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a seu pai.” Lc 9.42

Jesus sempre nos ensinou a viver de forma arrojada e atuante. É só ler o Evangelho de Marcos que vamos encontrar um Jesus sempre em ação e em atividade. O tempo é muito curto para cruzarmos os braços, esperando que as coisas aconteçam no automático. Jesus está realizando a Obra do Pai em todo o tempo. Ele mesmo disse: “A Minha comida consiste em fazer a vontade do Meu Pai que Me enviou.” Jesus morreu de braços abertos, num gesto de grande amor aos pecadores.

Diante desse amor, não podemos ser passivos; devemos ser ativos e atuantes. Mesmo que ele nos leve para junto das águas de descanso, não podemos ser passivos. Devemos arregaçar as mangas, abrir nossas mãos para socorrer os aflitos e colocar nossos pés na estrada que nos conduzirá aos necessitados para assisti-los e socorrê-los.

É preciso buscar vida santa e também causar impacto no mundo, pregando o Evangelho tanto aos ouvidos como aos olhos, servindo ao próximo, nesta geração que carece desesperadamente da Palavra de Deus e do testemunho dos filhos de Deus. Não podemos viver contemplativamente no monte, acomodados e tranquilos, como se a vida com Jesus fosse um permanente êxtase. É preciso descer do monte, sair da nossa zona de conforto e anunciar o Evangelho de Cristo aos corações aflitos.


terça-feira, 29 de julho de 2014

Está Profetizado Por Jesus




(Transcrito)


LEIA Salmo 23.1-6

“Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida...”
 Sl 23.6

Certo dia, uma cartomante pediu para ler minha mão, com o propósito de profetizar meu futuro e discernir minha sorte. Então, respondi-lhe com toda firmeza: “Minha sorte já foi profetizada por Jesus: “Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor para todo o sempre.” Temos companhia certa e destino seguro. Nosso futuro já está determinado.

A Palavra de Deus precisa estar sempre guardada em nosso coração para que, no tempo oportuno, seja o míssil que vai destruir as setas inflamadas do maligno lançadas contra nós. Somos casa de Deus, habitação do Espírito Santo e propriedade exclusiva do Senhor. Podemos confiar plenamente que as montanhas podem sumir, os morros podem desaparecer, mas nada pode nos separar do amor eterno de Deus. O tratado de paz que Deus firmou em nosso favor nunca será quebrado.

Quem faz estas promessas é o Senhor, que é fiel para cumpri-las. Tudo que Deus tem preparado para nós é nossa herança. Somos herdeiros de Deus e coerdeiros com Cristo. Nossa vida está segura em Cristo. Deus sempre nos vê através de seu Filho, que veio ao mundo e se entregou na cruz por amor de nós, como oferta e sacrifício pelo nosso pecado. Tome posse dessas promessas e viva uma vida superlativa em Cristo.




segunda-feira, 28 de julho de 2014

Sou Feliz Com Jesus

,


(Transcrito)


LEIA Salmo 1.1-6


“Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios...nem se assenta na roda dos escarnecedores.” Sl 1.1

O Salmo 1 é a porta de entrada para os demais salmos do saltério. Encontramos nele o mapa da felicidade. Somos felizes pelo que evitamos, pelo que fazemos e, também, pelo que somos. Há três sinais que devem ser observados na jornada da vida, se quisermos desfrutar de plena felicidade. 

Primeiro, o sinal vermelho. Feliz é o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores nem se assenta à roda dos escarnecedores. Estar no lugar errado, com pessoas erradas, fazendo as coisas erradas nos coloca na contramão da felicidade.

Segundo, o sinal amarelo. Para desfrutarmos da verdadeira felicidade precisaremos dar toda atenção à lei do Senhor, meditando nela dia e noite. O evangelista norte-americano Dwight Moody escreveu na capa de sua Bíblia: “Este livro afastará você do pecado ou o pecado afastará você deste livro”. Quanto mais você se aproxima do pecado, mais se afastará da lei de Deus. Quanto mais próximo da lei de Deus, mais longe do pecado e mais próximo da felicidade.

Terceiro, o sinal verde. O resultado de meditar na lei de Deus é que você será como uma árvore plantada junto às correntes das águas. Verá terá verdor, fruto, folhas, sombras, triunfo. O ímpio será disperso como a palha, mas você permanecerá para sempre feliz, plenamente feliz!




sexta-feira, 25 de julho de 2014

Com Jesus, Nada Falta



(Transcrito)


LEIA Salmos 23.1-6


“O Senhor é o meu pastor; nada me faltará”  Sl 23.1

O Salmo 23, escrito por Davi, um dos mais conhecidos textos das Escrituras, proclama com eloquência singular, a riqueza insondável da graça de Deus. Nele aprendemos que todo o suprimento da ovelha vem do pastor divino. A ovelha é totalmente dependente. Não pode suprir suas próprias necessidades. Entregue a si mesma está perdida. Não pode proteger-se. É um animal dependente, míope, teimoso e indefeso. Mas, o Senhor é apresentado neste Salmo como o Supremo, Eterno e Divino Pastor.

Há preciosas lições neste salmo. Destaquemos algumas: primeiro, nossas necessidades são plenamente supridas (Sl 23.1-3). A ovelha do divino pastor tem provisão, descanso, refrigério, cura, alívio e direção. Segundo, Sua presença nos é plenamente garantida nas adversidades (Sl 23.4-5). A ovelha do divino pastor não é poupada dos problemas, mas tem livramento no meio deles. Mesmo caminhando pelos vales mais escuros e pelos desertos mais causticantes, tem companhia, proteção, vitória, honra e alegria. Terceiro, nossa morada com Ele na glória nos é garantida (Sl 23.6). 

A ovelha de Jesus é acompanhada ao longo da caminhada pela bondade e pela misericórdia. E, por fim, é recebida na Casa do Senhor, nos tabernáculos eternos, para desfrutar, para sempre, das delícias celestiais.




quinta-feira, 24 de julho de 2014

A Ovelha Nos Braços de Jesus



(Transcrito)


LEIA  João 10.1-42


“Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da Minha mão.” Jo 10.28

Jesus é o bom, o grande e o supremo pastor das ovelhas. Ele morreu por elas, vive nelas e voltará para elas. Seu amor pelas suas ovelhas é eterno, incondicional e sacrificial. Ele veio para resgatar suas ovelhas, que estavam perdidas. Veio para conduzi-las ao aprisco. Encontrou-as desviadas, abandonadas, caídas, machucadas, sozinhas e famintas. Jesus, ainda hoje, procura suas ovelhas desgarradas. Ele, ainda hoje, continua buscando aqueles que estão perdidos.

Não importa quão sujas e enlameadas as ovelhas estejam. Jesus está sempre correndo na direção delas para alcançá-las e resgatá-las da morte. Jesus quer carregar você em seus braços de amor. Jesus oferece a você segurança e paz. Ele é poderoso para apagar todas as suas manchas, curar todas as suas feridas e levar você em segurança para o aprisco eterno. Jesus declara que você é dEle e ninguém pode arrancá-lo de seus braços.

Você pode ter plena certeza de que nada neste mundo, nem no vindouro, poderá separar você do amor de Deus. Tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo e espada não podem tirar você dos braços de Jesus. Principados, potestades, vida ou morte não podem afastar você do Divino Pastor. Temos em Cristo plena segurança, plena suficiência e plena satisfação.



quarta-feira, 23 de julho de 2014

Refúgio Só Com Jesus




(Transcrito)


LEIA Mateus 11.1-30


“Vinde a Mim, todos os que estais cansados [...]e achareis descanso para a vossa alma.” Mt 11.28-29

As pessoas andam cansadas e aflitas. São como ovelhas sem pastor. Estão desassossegadas. Correm para todos os lados em busca de algo que lhes dê sentido para viver, porém, colhem mais e mais decepções. Nesse cenário cinzento, Jesus se apresenta oferecendo alívio ao cansado e paz ao aflito. 

É claro que a vida não é indolor. Todos passam pelos vales sombrios das adversidades. Há dificuldades, perdas, tristezas e enfermidades. Porém, debaixo da sombra do Altíssimo, nos braços de Jesus, o refúgio é garantido. Quando corremos para os braços de Jesus, nas tempestades mais assombrosas da vida, encontramos refúgio para dormir em paz, descansar em paz, levantar em paz, trabalhar em paz, estudar em paz, viver em paz e morrer em paz. O melhor calmante é a fé em Cristo, pois Ele é o refúgio seguro.

Quando Jesus é o nosso refúgio, a cama mais dura se transforma em cenário de repouso e, mesmo reclinando a cabeça num travesseiro de pedra, podemos sonhar com as glórias do céu. Foi assim com Jacó, quando viajava de Berseba para Harã. Tomou uma das pedras do lugar, fê-la seu travesseiro, se deitou e sonhou. Em seu sonho viu uma escada que ligava a terra ao céu e os anjos de Deus subiam e desciam por ela. Essa escada é Cristo. Jesus é o nosso refúgio. Nele podemos confiar!




terça-feira, 22 de julho de 2014

Passando Pela Prova Com Jesus




(Transcrito)


LEIA Lucas 22.1-71

“Então, Lhe apareceu um anjo do céu que O confortava.” Lc 22.43

Jesus suou sangue no Getsêmani. Sentiu o hálito pesado do diabo soltando baforadas em seu rosto divino. Dobrado sobre seus joelhos sentia uma angústia de morte. Em lágrimas, clamou ao Pai para passar dele aquele amargo cálice. Por três vezes, Jesus apresentou ao Pai sua súplica e por três vezes, submeteu-se à sua vontade. Jesus, porém, triunfou no vale da prova e saiu do Getsêmani fortalecido para enfrentar seus inimigos e caminhar para a cruz como um rei caminha para a coroação.

Todos nós enfrentamos provações. Com Jesus, porém, passamos pelas provações vitoriosamente. As provações não vêm para nos reprovar, mas para manifestar a glória de Deus em nós. Deus nos prova para nos aprovar. 

Jesus, chamado varão de dores, nasceu num berço pobre, cresceu numa família humilde e viveu de forma comum. Não tinha sequer onde reclinar a cabeça. Seu ministério terreno, porém, foi marcado por grande poder, prodígios e milagres. Curou os enfermos, levantou os paralíticos, purificou os leprosos, alimentou os famintos, libertou os cativos e ressuscitou os mortos. Ele passou pelas mais duras provas para nos garantir a salvação e a vida eterna. Por isso Ele é o nosso maior exemplo de vencedor e triunfante no meio das mais terríveis provas.




segunda-feira, 21 de julho de 2014

Jesus, o Manancial de Alegria




(Transcrito)


LEIA Salmo 84.1-12


“O qual, passando pelo vale árido, faz dele um manancial...” Sl 84.6

O homem sem Deus vive desassistido de esperança. A angústia transborda nos corações, adoece as famílias e fragiliza os relacionamentos. Os hospitais estão abarrotados de pessoas enfermas física e emocionalmente. Nas ruas, sempre nos deparamos com todo tipo de gente doente e perturbada. Aumentam as doenças de fundo emocional e mental. Mais de cinquenta por cento das pessoas que passam pelos hospitais têm doenças psicossomáticas.

No trânsito, as pessoas estão estressadas, buzinando, gritando, discutindo e chegando às raias da violência que desemboca em agressão e até em morte. Para essas pessoas, que vivem aflitas, só existe um remédio. É Jesus! Ele é o manancial que satisfaz a alma. Ele diz: “Aquele que crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva fluirão do seu interior” (Jo 7.38). A Bíblia diz: “Alegrai-vos no Senhor” (Fp 4.4).

Nossa alegria não é um sentimento; é uma pessoa. É Cristo! Somente nEle existe plenitude de alegria. Quando Jesus é a nossa fonte de alegria, mesmo passando pelo vale árido, não precisamos temer, pois Ele converte nosso pranto em alegria, nosso vale em manancial. Ele tira as cinzas da tristeza e nos cobre com vestes de louvor. Ele enxuga nossas lágrimas e coloca um hino de vitória em nossos lábios.






sexta-feira, 18 de julho de 2014

Generosos Como Jesus




(Transcrito)


LEIA Atos 20.1-38


“... e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar que receber.”  At 20.35

Ninguém deu maior prova de generosidade do que Jesus. Sendo Deus se fez homem; sendo Rei dos reis, se fez servo; sendo rico, se fez pobre, por amor de nós, para nos tornar ricos diante de Deus. Ele abriu mão da glória que tinha com o Pai para vir a este mundo, nascer numa manjedoura, crescer numa carpintaria e morrer numa cruz. Jesus se esvaziou para nos tornar plenos. Sendo criador e dono do universo, nasceu numa família pobre, numa cidade pobre, e não tinha sequer onde reclinar a cabeça. E Ele fez tudo isso por amor de nós, para nos tornar herdeiros de Deus. 

Jesus é o centro do universo. Na eternidade Ele estava lá. Na criação Jesus estava em ação. Quando nossos pais caíram no Éden, Deus declarou que Jesus viria para pisar a cabeça da serpente e ser o resgatador do Seu povo. Em todas as páginas do Velho Testamento encontramos um fio de escarlate apontando para a Sua vinda, ministério, sofrimento, crucificação, morte, sepultamento, ressurreição e retorno para buscar a Igreja.

Jesus sempre nos ensinou a dar como Ele se deu por nós. Ele se deu voluntariamente, perseverantemente e amorosamente. Amou-nos quando éramos fracos, ímpios, pecadores e inimigos. Oremos para que Jesus nos transforme e para que sejamos generosos e prósperos em toda a boa obra.



quinta-feira, 17 de julho de 2014

Aprendendo a Orar Com Jesus



(Transcrito)


LEIA Lucas 11.1-54

“... Então, Ele os ensinou: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o Teu nome...”  Lc 11.1,2

Encanta-me ver como Jesus ensina com tanta maestria e profundidade. Ele diz: “Vós orareis...”. Ele usa o plural. Com isso, está indicando que oração é uma prática indispensável para todos. A oração é uma necessidade vital e uma ordem expressa. Temos de orar uns pelos outros, porém não podemos depender só das orações dos outros. Jesus disse: “Orareis...” no imperativo. 

Oração não é opcional. Oração é o respirar da alma, é o sangue que corre nas veias, o termômetro da nossa intimidade com Deus. Todos têm de orar: pedir, buscar e bater. Por mais erudito que um homem seja, por mais perfeita que seja sua capacidade de expressão, por mais ampla que seja sua visão, por mais grandiosa que seja sua eloquência, ou por mais simpática que seja sua aparência, ele nunca está dispensado de orar e buscar fervor espiritual. 

A oração é como o fogo do incenso que sobe a Deus. É pelo fogo que a oração sobe aos céus. O fogo empresta asas à oração, dando-lhe acesso a Deus e a torna aceitável diante do Senhor. É como disse o escritor norte-americano E. M. Bounds, “sem fogo não há incenso; sem fervor não há oração”. Jesus veio batizar com fogo porque o fogo aponta para o céu, para o trono e para Deus. Jesus orou e nos ensinou a orar. Dobremos os nossos joelhos!



quarta-feira, 16 de julho de 2014

Restituição, Toma de Volta!




(Transcrito)


LEIA I Samuel 30.1-31


“Não lhes faltou coisa alguma [...] nada do que lhes haviam tomado: tudo Davi tornou a trazer” I Sm 30.19

Um dia o rei Davi chegou em Ziclague com seus seiscentos guerreiros e viu que a cidade, lar de sua família e das famílias de seus amigos, tinha sido queimada, ferida e saqueada pelos amalequitas. Os inimigos saquearam os bens e levaram cativos as mulheres, os filhos e as filhas. Davi ao ver a situação chorou até não ter mais forças para chorar. Os aliados voltaram-se contra ele para o apedrejar, pois cada um estava angustiado de espírito por causa de seus filhos e de suas filhas.

Talvez você também tenha sido roubado pelo inimigo. Talvez o inimigo também tenha saqueado seus bens, sua saúde, seu casamento, seus filhos e suas amizades. Talvez você esteja angustiado, porque depois de suportar todas essas perdas até mesmo seus amigos mais próximos estão contra você. Davi, porém, não aceitou passivamente a decretação da derrota em sua vida.

Ele se reanimou no Senhor seu Deus. Orou e recebeu uma ordem de Deus para tomar de volta o que o inimigo havia levado. Davi lutou e venceu. Tomou de volta tudo o que o inimigo havia saqueado. Agora mesmo você, também, pode fazer a mesma coisa. Não entregue os pontos, não jogue a toalha. Não desista. Não aceite passivamente a decretação da derrota. Levante-se na força do Senhor e tome de volta o que inimigo levou.



terça-feira, 15 de julho de 2014

Ética Também é Testemunho



(Transcrito)


LEIA I Pedro 2-1-22


“Amados, exorto-vos, [...], a vos absterdes das paixões carnais, [...], mantendo exemplar o vosso procedimento....” I Pe 2.11,12

Todo cristão genuíno crê que o Evangelho da Graça de Deus precisa ser proclamado. Sabe que deve anunciar e testemunhar. Todavia, nem todo cristão consegue conciliar discurso com atos, doutrina com prática. Às vezes falamos uma coisa, mas fazemos diferente daquilo que professamos. Deus exige a conciliação inseparável tanto do aspecto verbal quanto do aspecto ético do testemunho cristão. Precisamos falar e evidenciar a mensagem.

Temos o dever de anunciar, mas, também temos a responsabilidade de materializar o nosso discurso. O testemunho cristão não deve ser caracterizado apenas pela verbalização. Ele deve ser ouvido e observado, anunciado e comprovado pela conduta exemplar. Devemos comunicar a mensagem do Evangelho aos ouvidos e anunciá-la aos olhos. O que falamos deve ser carimbado com o que fazemos. Somos chamados para anunciar a boa nova e atestar aquilo que anunciamos com o nosso estilo de vida.

Para tristeza do Cristianismo, muitos cristãos não harmonizam a fala com a conduta. Para muitos, as palavras são como giz, a vida como lousa e a conduta como apagador. O que falam é apagado por meio daquilo que fazem. Cuide, porém, para que a sua piedade confirme a sua mensagem, para que a sua vida seja um outdoor daquilo que você anuncia.



segunda-feira, 14 de julho de 2014

O Perdão Cura




(Transcrito)


LEIA Colossenses 3.1-25 

“Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós.” Cl 3.13

O perdão é um santo remédio para a alma enferma. Porém, ele é mais do que um remédio, é um imperativo divino. A Palavra de Deus nos ordena a perdoar uns aos outros. Quem recebe o perdão divino tem todas as razões para perdoar. A causa motivadora para perdoar é a compreensão do perdão que recebemos de Deus. Ele perdoou todos os nossos pecados, logo, somos encorajados a perdoar também aquele que nos ofendeu.

O parâmetro para perdoar é o perdão de Deus. Eis a instrução do Espírito Santo por meio da Escritura: “Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós” (Cl 3. 13). Max Lucado afirma: “Pessoas perdoadas perdoam. Os que recebem misericórdia são misericordiosos”. Perdão não é uma questão só de exame, decisão e cura, mas de mandamento. Não é uma questão de opção, mas de dever. Aqueles que recebem o perdão de Deus, mas que se negam a concedê-lo, por certo enfrentarão dias maus e difíceis.

Os verdugos da alma, certamente, os atormentarão dia e noite. A causa é múltipla, os danos são muitos e as feridas inumeráveis. Porém, o remédio é único. O perdão é o remédio para a cura da alma enferma. Não protele a cura da sua alma nem mantenha o outro refém de seu perdão. Isso será bom para o outro, mas, com certeza, será melhor para você.



sexta-feira, 11 de julho de 2014

Templos Vazios de Jesus




 (Transcrito)


LEIA Mateus 21.1-46


“Está escrito: A Minha casa será chamada casa de oração; vós, porém, a transformais em covil de salteadores” Mt 21.13

Vivemos num tempo de superficialidade. Dá-se mais importância à forma do que ao conteúdo. Mais valor à performance do que àmotivação. Mais peso ao gosto dos homens do que ao agrado de Deus. Vemos templos superlotados de pessoas, mas vazios de amor. Muita gente reunida, mas pouca unidade em Cristo e quase nenhuma ação do Espírito Santo. Tudo agora é gospel: música gospel, pastor gospel, coreografia gospel, dança gospel, louvor gospel.

Há muitas luzes, maquiagens, entretenimentos, apresentações e ambientes preparados para um show gospel com a mais alta tecnologia e aparatos, porém vazios do Evangelho. Nesses ambientes glamorosos não se vê a presença do verdadeiro Cristo nem da genuína santidade. O culto precisa ser racional e vivo. 

Temos de cantar com a alma, com a mente e com o coração. Temos de pregar a Palavra de Deus, que alimenta a mente e incendeia o coração.Temos de orar até que o céu se fenda e as chuvas torrenciais do Espírito sejam derramadas em profusão. Temos de contar as boas novas de salvação até ao último habitante da terra e esperar perseverantemente a conversão daqueles que procedem de todas as etnias até Jesus voltar. Oremos para que um tempo de restauração brote para a Igreja e um poderoso reavivamento venha sobre nós.